X

Melo minimiza rivalidade com a Argentina

Quinta, 18 de setembro 2014 às 20:29:00 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
O Brasil enfrentará um velho conhecido na primeira rodada do grupo Mundial da Copa Davis em 2015, entre os dias 6 e 8 de março: a Argentina. Marcelo Melo, atleta patrocinado pela Centauro, e Bruno Soares formam a dupla brasileira, que é considerada uma das melhores do mundo.

Juntos, eles venceram os últimos sete jogos do torneio (2011 a 2014). Além disso, o duelo leva a rivalidade que os países vivem no futebol, o que promete deixar as partidas ainda mais emocionantes.

Apesar disso, o brasileiro não acredita em clima hostil nas arquibancadas. "A rivalidade é sempre grande com os argentinos. Mas no tênis ela não é tão intensa. Acredito que vamos enfrentar uma torcida normal de Copa Davis, que sempre apoia e faz barulho durante o jogo inteiro", declara o mineiro, que revela boa relação com os adversários. “Temos uma boa convivência com os argentinos no circuito. De uma forma geral, os sul-americanos são bastante ligados”, complementa.

Aos 30 anos, Melo é o atual número 5 do mundo e tem vasta experiência nos principais torneios da ATP, inclusive com resultados expressivos, como o vice-campeonato em Wimbledon (2013), título do Masters 1000 de Xangai (2013) e semifinalista no ATP Finals (2013), que reúne as melhores parcerias da atualidade.

Na Copa Davis, ele e Bruno Soares tiveram uma vitória épica em 2013, sobre os irmãos Bryan. Os mineiros derrotaram os norte-americanos, considerados os melhores duplistas da história, em território rival. "Aquela partida foi especial, tivemos uma grande vitória. A pressão foi enorme, mas conseguimos nos manter calmos e continuar nossa estratégia. Contra a Argentina não será diferente", diz Melo.

A Argentina não tem uma dupla 'fechada' nos seus encontros da Copa Davis, dependendo do adversário os jogadores são modificados (Carlos Berlocq, Leonardo Mayer, Horacio Zeballos e Federico Delbonis). Isso, entretanto, parece não preocupar o mineiro. "Nós conhecemos bem todos os jogadores da Argentina, o que acaba sendo importante para o jogo", fala.

Melo também acredita na força do grupo brasileiro para o confronto. "União da equipe ajuda com certeza, isso nossa equipe tem de sobra. A pressão é praticamente a mesma, sabemos que a dupla é muito importante. Há essa pressão extra por termos resultados sólidos, mas sabemos que cada jogo é uma história diferente. Temos que ir para lá muito bem preparados", explica.

Caso o Brasil supere a Argentina, o adversário das quartas de final poderá ser a Sérvia, de Novak Djokovic. Isso acontecerá se o número 1 do mundo conseguir levar o seu país à vitória diante da Croácia.
banner
banner