X

Bellucci tem a oportunidade de ser herói nacional, diz Emilio Sanchez

Sábado, 13 de setembro 2014 às 19:45:30 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Por Fabrizio Gallas e Ariane Ferreira - Ex-top 10 de simples e duplas e capitão na histórica vitória da Espanha em 2008 desfalcada no caldeirão de Mar del Plata, Emilio Sanchez Vicario bateu um papo com o Tênis News e apostou na virada contra o Brasil nos playoffs em São Paulo.

Emilio, que se encontra nos Estados Unidos em um de seus centros de treinamento, em Naples, na Flórida, destacou: "Creio que a Espanha vencerá por 3 a 2, mas é Copa Davis, os nervos falam muito e fazer um prognóstico é muito difícil", disse Vicario que durante 2009 e 2011 trabalhou como coordenador da Confederação Brasileira de Tênis.

O espanhol apontou a oportunidade que Thomaz Bellucci terá nas mãos neste domingo no quarto jogo contra Roberto Agut, 15º, com o time brasileiro liderando por 2 a 1: "Ainda temos boas possibilidades, o próximo jogo é dos dois número 1 de cada país, (Roberto) Bautista está jogando em um grande nível e acredito que neste jogo se definirá muito a eliminatória. Bellucci tem um bom passado em Copa Davis de ter ganho partidas de cinco sets algo que pode lhe ajudar, mas Bautista é um jogador muito duro e assim teremos um grande jogo e uma Copa Davis é sempre muito nervosa, muitas emoções. Mesmo assim Bellucci tem uma oportunidade de ouro, de ser o herói nacional, mas vejo muito difícil para o Brasil. De qualquer forma para o Brasil estar aí lutando no domingo pela vitória contra a Espanha é um grande triunfo que vem conseguindo".

De acordo com Emilio, a parte física pode pesar, mas muito mais por questões emocionais do que vir de um jogo de quatro horas como Thomaz teve na última sexta-feira: "Ele é um profissional, um profissional tem que ser capaz de aguentar. Já conseguiu ir bem em um jogo de 4h, superou essa barreira e seu problema fica mais quando encara um 4º ou 5º set como foi contra a Índia na época que trabalhava na CBT. É muito a questão de emoções e das circunstâncias, é preciso jogar tênis para ganhar as partidas".

Apesar de ver a Espanha bem favorita caso Bautista supere Thomaz, Emilio não descarta uma surpresa no último jogo entre Rogério Silva e Andujar: "Dutra Silva é um jogador ali entre os 100 do mundo (201º colocado atualmente) e Bautista entre os 20, é normal que não tenha muitas opções contra o Bautista, agora em um 5º ponto as coisas podem se igualar mais, a parte emocional entre muito em jogo, seria a primeira vez que ele e Andujar jogaria em um 2 a 2.

Vicario também se colocou no lugar do atual capitão espanhol Carlos Moya que teve a negativa de vários tenistas para vir a São Paulo tais como Rafael Nadal, David Ferrer, Tommy Robredo, entre outros: "O calendário é um tema complicado, a Espanha jogou eliminatórias muito importantes e os jogadores deram tudo pela equipe , estão mais velhos, com mais problemas e custa mais para eles estar com mais frequência na eliminatória. Carlos terá que buscar mais compromisso dos seus jogadores na próxima eliminatória".
banner
banner