X

Presidente da CBT critica Feijão e técnico de Nº 2 reage: 'É um zero à esquerda'

Sexta, 12 de setembro 2014 às 08:15:00 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Às vésperas do inicio do confronto entre Brasil e Espanha pela Copa Davis, a não-convocação de João Souza segue sendo pauta. Nesta quinta, em entrevista ao portal UOL, Jorge Lacerda, presidente da CBT, condenou as declarações de Feijão e foi rebatido por Ricardo Acioly.

Lacerda foi questionado sobre a polêmica da não convocação de Feijão para o time da Davis e as palavras do jogador que não havia concordado com as opções do capitão. João Zwetsch escalou Rogério Dutra Silva para o duelo após trazer Guilherme Clezar para a disputa da vaga em treinos na semana no Ibirapuera, em São Paulo: "Achei desmedido o tom das declarações. É algo negativo para ele e também para os outros jogadores, cria um clima ruim. O Feijão não pode ser comparado com o Gui (Clezar), que é um cara jovem (tem 21 anos, contra 26 de Feijão) . Ao meu ver, o Feijão está longe de seu melhor ranking. Está em fase inferior aos demais jogadores. Ele já fez até semifinal de ATP, mas hoje está apenas jogando torneios challengers. Quanto ao Rogerinho, nem tem como comparar ele com qualquer outro jogador. Falo com as pessoas e 99,9% delas dizem que é ele quem tem de jogar", disse Jorge.

Também em reportagem do UOL publicada horas mais tarde, Acioly, técnico de Souza e que treinou o time da Copa Davis por seis anos na época áurea de Gustavo Kuerten, Fernando Meligeni, Jaime Oncins entre outros, reagiu: "Este tipo de declaração (sobre nível técnico de Feijão) demonstra muito bem que ele não entende nada de tênis. É um zero à esquerda. É para dar risada. Para mim, fica claro que a posição dele influencia nas convocações. Ele não deveria falar isso. É algo grave e inaceitável isso ter acontecido, enfraquece sua posição de presidente".

Lacerda acusou Acioly de estar por trás das críticas de Feijão ao comando técnico da Davis e lembrou que Ricardo foi comandante da Copa Davis quando a CBT era presidida por Nelson Nastás, que acabou sendo tirado do cargo após seguidas denúncias de improbidade administrativa: "O Acioly era o capitão na época do Nastás. Deve estar querendo plantar alguma coisa, deve ser algo dele", disse o presidente.

Pardal se defendeu e voltou a acusar Lacerda de meter o bedelho na convocação dos atletas: "Fui capitão na gestão do Nastás, sim. O Nastás fez coisas questionáveis e pagou por isso, inclusive com processo na Justiça. Mas foi a melhor gestão que já tivemos em termos de Copa Davis. Quando eu era capitão, eu jamais deixei ele influenciar nas minhas convocações, coisa que não sei se não acontece agora. E se estou plantando algo, a única coisa que estou plantando é a moralidade e o fim de interesses pessoais", disparou.

Acioly disse que vai torcer pela equipe vencer a Espanha neste final de semana: "Desejo toda a sorte da equipe, vou torcer. Torcer contra, seria uma imbecilidade. Zero de estresse. Mas tenho a minha opinião. Não vivemos em uma ditadura", concluiu.

De acordo com a reportagem, Lacerda negou que fará um corte na verba que Feijão recebe via Correios, que é patrocinador da entidade.
banner
banner