X

Bellucci e equipe do Brasil otimistas para duelo contra a Espanha

Terça, 09 de setembro 2014 às 11:27:04 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Por Ariane Ferreira - A equipe do Brasil conversou com a imprensa em São Paulo para falar das expectativas para o encontro com a Espanha. Após boas apresentações de Bellucci e os duplistas Melo e Soares no US Open, a equipe mostrou-se animada e confiante para o confronto.

Foto: Marcello Zambrana

A entrevista começou ainda repercutindo com Guilherme Clezar e Rogerio Dutra Silva a polêmica sobre a não-convocação de João Souza, o Feijão. Os dois tenistas que brigam pelo posto de número dois do time fugiram da polêmica: "Tudo que tinha que ser dito sobre isso, foi dito a quem de direito", se esquivou Rogerinho, que apoiado por Clezar disse estar confiante e trabalhando duro para o encontro com a pentacampeã Espanha.

O capitão brasileiro João Zwetsch vê as estratégias da equipe rival muito claros e definirá seu número dois na noite desta terça-feira, explicou aos jornalistas. "As coisas estão se encaminhando pra jogar o (Roberto) Bautista e (Pablo) Andújar, nas duplas temos essa dúvida do Marcel (Granollers) com esse problema que apareceu lá no US Open no punho. Quando se tem um adversário com variações de escalação como eles, não sabemos quem é a dupla por exemplo, é preciso ter atenção em si, no seu trabalho", pontuou.

Marcelo Melo comentou sobre o favoritismo da dupla brasileira, apontada inclusive pelos rivais: "O ponto da dupla é realmente importante, por estar no meio do confronto, mas não vejo tanto favoritismo. A dupla deles, a gente não sabe quem vai ser, não importa, é de alto nível. Vai ser um confronto como o com os Estados Unidos, mas com a vantagem de que a gente pode escolher as condições".

Bruno Soares, por sua vez, comentou que as condições no Ibirapuera são as que eles esperavam e que a quadra "está melhorando a cada dia". O mineiro, campeão de duplas mistas no US Open, voltou a dizer que ao ver a Espanha desfalcada o time brasileiro "viu a luz no fim do túnel" e destacou que o time brasileiro precisa "entregar tudo no final de semana".

O número um do Brasil, Thomaz Bellucci contou que está confiante para os confrontos: "Realmente no primeiro semestre não joguei tão bem. Não tive os resultados que eu queria, mas com os últimos jogos estou bem confiante para os confrontos. Contra o (Stan) Wawrinka e o (Nicolas) Mahut, eu pude jogar muito melhor. Estou super otimista em relação ao confronto".

O natural de Tietê, que acumula um revés nesta temporada para Pablo Andújar, mas tem 2x1 no confronto geral e tem uma derrota contra Roberto Bautista Agut em três sets pelo US Open 2013, analisou os rivais: "São jogadores que fisicamente são bons, essa vai ser a dificuldade. Um jogo de cinco sets a gente precisa saber que é longo e que nem sempre você está bem, mas dá pra acreditar".

Para Thomaz Bellucci a grande vantagem do Brasil é: "Estar jogando em casa. Aqui a torcida sempre vem um pouco pesada, no Brasil Open sempre apoia e incomodam um pouquinho. A torcida vai nos ajudar muito", finalizou.
banner
banner