X

Djokovic vence jogão contra Murray e busca, no US Open, a 15ª final de Slam

Quinta, 04 de setembro 2014 às 02:31:01 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Novak Djokovic, número 1 do mundo, superou o britânico Andy Murray, nono colocado, na madrugada desta quinta-feira no horário de Brasília perto das 2h20 e 1h20 do horário de Nova York, em uma grande partida onde carimbou passaporte rumo à semifinal do US Open.

O sérvio precisou de 3h31min para derrotar o dono de dois títulos de Grand Slam e que lhe havia batido na final de 2012 no evento com parciais de 7/6 (7/1) 6/7 (7/1) 6/2 6/4.

Djoko brigará por sua quinta final consecutiva em Flushing Meadows, a sexta em torneio onde foi campeão em 2011 e vice em 2007, 2010, 2012 e 2013. Vencedor de Wimbledon este ano, Nole tentará mais uma final de Major onde soma sete conquistas em 14 decisões.

Seu rival será o japonês Kei Nishikori, 11º colocado, que derrotou em cinco sets o suíço Stan Wawrinka quarto colocado, após 4h15min de batalha. Nishikori joga sua primeira semi deste tipo de evento, a primeira de um japonês desde 1918, e tem retrospecto igual com Nole de uma vitória para cada lado. Perdeu em Roland Garros em 2010 e deu o troco na Basileia, na Suíça, na temporada seguinte.

O jogo

A primeira etapa veio com os dois agressivos na devolução e conseguindo quebras. Murray saiu na frente, tomou quatro games seguidos perdendo chances de devolver a desvantagem e empatou em 4/4. A partir daí os pontos foram longos, com muitas trocas e a esperada intensidade. Os games correspondiam à dureza e o tie-break era merecido com Nole salvando break-point importante. No desempate maior firmeza de Djokovic para fechar por 7/6 (7/1) após 1h13min.

Na segunda etapa Nole começou melhor, quebrou, fez 3/1, mas permitiu a virada em 5/4 ficando louco de raiva ao bater uma bola na placa de publicidade. O jogo andou mais rápido com os saques funcionando mais efetivamente junto com pontos mais velozes. O tie-break veio novamente após Djokovic segurar firme um game de saque onde salvou set-point e se deparou com seguidas igualdades. Mas Murray, bastante agressivo , abriu 4 a 0 e dominou fechando por 7/6 (7/1) em uma hora.

O terceiro set foi totalmente diferente dos anteriores. Djokovic conseguiu a quebra, segurou o saque salvando oportunidade de Andy, abriu 5/2 e viu o escocês cometer erros que não vinha cometendo para fechar por 6/2 em 36 minutos. Foram ao todo 14 erros de Andy contra apenas cinco de Nole que deu seis winners contra dez seus.

Na quarta parcial games parelhos no início até e metade quando novamente os dois passaram a confirmar rápido. Murray sentiu dores nas costas, pediu uma proteção para o fisioterapeuta em um intervalo e passou a se alongar em quadra, fazer expressão ruim. Lutou, mas com erros bobos caiu por 6/4 sendo quebrado.

Entre os números do jogo destaque para o aproveitamento de quebras. Enquanto que djokovic fez 70% com sete em dez, Murray marcou apenas 25% com quatro em 16. O natural de Dunblane errou 65 contra 47 winners. Djoko acertou 46 e errou duas a mais.
banner
banner