X

Encontro de gerações no Campeonato Brasileiro

Segunda, 04 de julho 2005 às 18:13:43 AMT

Link Curto:

Jaime Oncins
Vários ex-profissionais do tênis se encontram em Brasília, acompanhando o Campeonato Brasileiro Infanto-juvenil de Tênis.

Jaime Oncins, ex-jogador de Copa Davis e 34o do ranking mundial, atualmente é técnico de vários tenistas competitivos, entre eles Nicolas Santos, da categoria 18 anos e Ricardo Siggia, nos 16 anos e viaja para os principais eventos juvenis do país. Assim como ele, Marcus Vinícius Barbosa, o Bocão, um dos melhores tenistas juvenis que o Brasil já teve, também continua a rotina de viagens pelo circuito juvenil acompanhando uma grande equipe de atletas que conta com nomes como André Stábile, Gustavo Kleine e Lucas Lopasso.


Comandando a mesma equipe, ao lado de Bocão, está outro ex-profissional dos anos 80, o gaúcho Ivan Kley.

Fernando Meligeni, também virou técnico depois que largou o circuito profissional, mas nada com juvenis. Fininho é o capitão da equipe brasileira da Copa Davis e antes de embarcar para Joinville, local do confronto, na próxima semana, passou por Brasília para prestigiar o Brasileirão e participar do Simpósio da Associação Nacional de Pais de Tenistas.

Esses encontros de ex-colegas de circuito propiciam momentos de muita diversão de recordações. No final da tarde, em uma das quadras que não estavam mais sendo usadas para jogos, Bocão e Jaime Oncins aceitaram um desafio dos tenistas Ricardo Siggia e Fernando Romboli. Os dois juvenis venceram a partida por 6/4, depois de estarem ganhando por 5/2. A vitória rendeu um jantar pago pelos técnicos, depois de muitos protestos.

“Eles perderam e não queriam pagar o jantar. Quem aceitou primeiro foi o Bocão. Deve ser duro perder para dois juvenis, ainda mais para quem já esteve entre os melhores do mundo”, disse Romboli.

Ivan Kley também lembra que o Campeonato Brasileiro é um encontro do passado, presente e futuro. Enquanto assistia alguns jogos de seus atletas, o gaúcho encontrou um ex-companheiro de interclubes: Noel Freitas, que hoje em dia é treinador em Belém do Pará e trouxe o filho de 10 anos para jogar o primeiro torneio nacional da ainda curta carreira.

“O Brasileirão tem dessas coisas. A gente encontra velhos amigos, mas muito mais que isso, nos vemos novamente como juvenis. Já estivemos aqui um dia jogando, depois começamos a vir para trazer nossos atletas e agora, trazemos nossos filhos. É o passado e o futuro diante de seus olhos”, comentou Kley.

Nesta terça-feira, a partir das 9 horas, os clubes do Exército e Minas Brasília recebem mais uma rodada de jogos do Brasileirão em todas as categorias. A entrada está liberada ao público.
banner
banner