X

Melo relata melhora, mas pede mais atenção da ATP com as duplas

Terça, 25 de março 2014 às 19:30:00 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Por Ariana Brunello - Marcelo Melo e Ivan Dodig foram eliminados nesta segunda-feira nas oitavas-de-final do Masters 1000 de Miami. A terceira melhor dupla do ranking caiu diante do bielorusso Max Mirnyi e do espanhol Feliciano Lopez por 2 sets a 0, com um duplo 7/5.

Após a derrota, o brasileiro falou com exclusividade ao Tênis News sobre o desempenho nos dois jogos disputados, a atual fase ao lado de Ivan Dodig, o erro da ATP no sorteio da chave em Miami, a falta de atenção da entidade e da mídia com as duplas e a Copa Davis.

Tênis News - Qual sua avaliação sobre a participação sua e do Ivan em Miami ?
Marcelo Melo - Fizemos um bom primeiro jogo. Começamos um pouquinho atrás, mas conseguimos converter a partida. A partir do segundo set e do match tiebreak fomos superiores e conseguimos sair com a vitória. Em um Masters 1000 não existe rodada tranquila. Sempre ganhamos ou perdemos por pontos e foi o que aconteceu. O Mirnyi e o Feliciano são dois jogadores de nível extremamente alto, fizeram a final de Acapulco este ano, o Feliciano saca muito bem, o Max voleia muito bem, então estamos sempre decidindo nos detalhes, games em no edge. Tivemos um set point no 5-4, após um ponto longo, mas infelizmente caiu pro lado deles. O jogo hoje foi bem melhor que o primeiro. Em cada ponto, a torcida estava presente. É uma tristeza ter perdido, mas ao mesmo tempo sabemos que jogamos bem e às vezes acontece da partida ser decidida em um ponto.

TN - Como está a atual fase com Ivan Dodig ?
Marcelo Melo - Está muito boa. Acho que estamos no nosso topo. Resultados às vezes vêm, às vezes não. É normal. Acho que poderíamos ter ido mais longe no Australian Open pois estávamos jogando muito bem lá de novo, mas infelizmente tive a lesão. Fizemos três bons jogos agora em Indian Wells. Estamos conseguindo manter o nível de jogo que passamos a ter depois de Wimbledon, o que fez nosso dupla crescer demais em todos os aspectos: confiança entre nós, confiança no jogo, nos golpes. Wimbledon transformou nossa dupla e estamos conseguindo manter isso, o que é mais importante. O início do ano passado foi ruim, não tivemos resultados expressivos e esse ano os resultados estão normais, mais sólidos. Até poderia ter sido melhor, mas não estamos jogando torneios pequenos e sim Grand Slams, ATP 500, Masters 1000.

O que aconteceu durante o sorteio das chaves de Miami que causou polêmica e reclamações por parte dos duplistas?
Marcelo Melo -
A ATP fez a chave de duplas com o ranking errado. Usaram o ranking da semana anterior quando deveriam usar o atualizado. Por isso tiveram de refazer e trocar seis jogos. Isso não deveria ter acontecido, mas aconteceu. O nosso não foi trocado. Ficamos chateados porque o Ivan jogou simples na quinta-feira e jogaria de novo na sexta. Um dos nossos adversários jogaria no sábado e a rodada de duplas começava na quinta. Então quinta-feira era o dia livre pra gente jogar dupla e para o Ivan não jogar duas partidas no mesmo dia e também no caso dos nossos adversários, para um deles não jogar duas partidas no mesmo dia. Nós quatro sabíamos que existia essa opção e foi um erro simples cometido pela organização. É uma decisão lógica não colocar dois jogos no mesmo dia, por mais que o jogador esteja preparado e tenha entrado no torneio para isso. Foi uma das razões pelas quais demoramos para entrar no jogo. Porque você joga, para, almoça, espera mais duas horas pra jogar. Não é a mesma rotina de chegar, aquecer, almoçar, esperar pela partida, jogar e ir embora. Faltou atenção com as duplas.

TN - Falta atenção com as duplas por parte da ATP e da mídia, para que problemas como esse não aconteçam mais ?
Marcelo Melo
- Esse tipo de problema acontece independentemente de ser simples ou duplas porque os jogadores estavam envolvidos em ambas as chaves. Então nesse caso não acho que tenha faltado com atenção com as duplas para priorizarem as simples. A ATP vem trabalhando e se envolvendo mais com as duplas, mas achamos que pode ser um pouco mais. Não que a gente não esteja satisfeito. Nós, duplistas, sempre pedimos para a organização do torneio colocar os jogos nas quadras principais, dar mais atenção a algumas notícias que não são divulgadas sobre as duplas. Coisas básicas, às vezes um simples tweet falando sobre os resultados, como fazem com as simples. Mas vem melhorando bastante. Só no ano passado no Brasil foram transmitidos uns quinze ou vinte jogos de duplas. Há uns cinco anos, transmitiam um ou dois. Estamos caminhando bem, mas esperamos caminhar ainda mais longe.
banner
banner