X
banner

López diz que Tipsarevic já recebeu proposta financeira para perder

Segunda, 25 de novembro 2013 às 14:19:19 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Em entrevista ao site espanhol TennisTopic, Feliciano López, 31º do ranking da ATP, criticou o atual sistema antidoping do tênis e ao comentar o problemas das apostas, que ronda o circuito, revelou que o sérvio Janko Tipsarevic já foi convidado a vender um jogo seu.

Perguntado sobre as denuncias que surgiram na Espanha sobre a venda de resultados das partidas de tênis, Feliciano comentou que é algo incontrolável: “O motivo é simples: qualquer jogador pode ir a uma quadra de tênis, perder por um duplo 6/0 ou 6/1 e ninguém poderá provar que este jogo foi vendido”. O espanhol comentou a denuncia feita pelo português João Sousa, que chegou a ter apostadores te oferecendo dinheiro via Facebook para que vendesse um jogo. “Sim, sou mais velho e não vivi tanto isso, mas sei que nos últimos anos isso aumentou. Acima de tudo me contaram que nos Challengers é uma barbaridade”, comentou o ex-top 15, ressaltando desconhecer a situação no circuito Futures.

“Em jogos de ATP há milhares de casos, mas é muito complicado provar. Esse é o problema. Com certeza há muitas redes montadas e gente que fatura alto com isto. As apostas movimentam uma quantidade enorme de dinheiro no mundo. A qualquer momento um jogador pode reunir-se com uma destas redes, seja ela de onde for”, prosseguiu citando suas derrotas em Valência e Tóquio, onde ele jogou com certo desconforto e podia ter vendido os resultados.

O tetracampeão da Copa Davis culpou também as regras da ATP que marcam os torneios obrigatórios aos tenistas, que mesmo lesionados, por vezes se veem obrigados a jogar para não ficarem com a pontuação da semana zerada.

Perguntado se já lhe ofereceram dinheiro para vender algum jogo, Feliciano disse que não, mas citou o ex-top 10 Janko Tipsarevic: “Sei de companheiros meus que passaram por isso. Um dia Janko me disse: ‘Faz uns anos, na Rússia, veio um cara ao meu quarto e me ofereceu 40 mil euros para eu me deixar perder’”, revelou o espanhol.

Feliciano, que já protagonizou situações cômicas com equipes de antidopagem como ser felicitado por seu aniversário primeiro por um agente da WADA às 6h da manhã, criticou o atual sistema de controle e coleta de amostras.

O espanhol, que reafirmou achar um absurdo as punições ao croata Marin Cilic e ao sérvio Viktor Troicki, citou três remédios comuns para dor de cabeça ou muscular que os tenistas não podem ingerir, pois podem ser pegos no antidoping.

"Ao que somos submetidos atualmente é uma grande vergonha. O sistema de localização que temos nos submeter todos os dias do ano, para dizer onde estará e a que horas porque alguém pode estar ali para examiná-lo. Esse conceito já é errado", bradou. O espanhol citou que quase foi advertido pela WADA por 'erro de localização' e levar a terceira advertência por um erro do examinador, que ao ir a casa do espanhol em Madri às 7h da manhã pontuou que ele não estava em casa.

"Enviei uma carta dizendo que estava em casa e que ninguém tocou o interfone. Ao que parece, perguntaram ao porteiro se eu estava e ele disse que não sabia porque não controlava a hora de entrada e saída dos moradores", explicou Feliciano como conseguiu se livrar da punição que poderia te levar a juri.

López pontuou inúmeras situações em que o sistema de doping prejudica os atletas inclusive em sua recuperação entre uma partida e outra. Para o espanhol há agentes despreparados, como no caso de Troicki.
banner
banner