X

'Não canso de ver Nadal vencendo R. Garros,' diz Forget

Sexta, 08 de novembro 2013 às 09:00:00 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Por Fabrizio Gallas, em Londres - Seguindo o bate-papo com Guy Forget para o Tênis News, o francês, que hoje é membro do Comitê Organizador de Roland Garros, teceu comentários positivos sobre Rafael Nadal, oito vezes campeão do evento nas nove últimas edições disputadas.

“Eu adoro (ver Nadal ganhar Roland Garros). Ele não é um cara chato de se ver, que ganha o torneio e vai embora. Ele mostra muita emoção, é emocionante vê-lo jogar, é um animal no bom sentido, é ótimo para o jogo. Espero que ele vença mais e mais. Alguns querem que outros vença, se acontecer, legal, mas na minha opinião ele pode chegar a pelo menos uns dez Roland Garros”, disse Forget que aposta no espanhol como futuro recordista de títulos de Majors. Roger Federer lidera com 17 e Nadal chegou aos 13.

“Rafa é um incrível tenista, excelente competidor, é um pouco como o Guga, muito boa pessoa, político, humilde e trabalhador. Talvez em uns quatro, cinco anos ele será o maior em toda a história, vai passar o recorde de Federer em Grand Slams”.

O francês, que foi quatro do mundo e é o diretor do Masters 1000 de Paris, aposta que Federer ainda pode erguer um Grand Slam, mas vê poucas opções no horizonte do suíço: “Será difícil para o Roger pois ao passo que ele está ficando mais velho, outros mais jovens vem competindo forte, mas acho que ele pode ganhar grandes torneios pois joga muito tênis. Quando ele estiver bem fisicamente, pode bater qualquer um. Pete Sampras ganhou um US Open para fechar a carreira e não vinha jogando bem.”

'Maior erro do tênis francês é desprezar o saibro' – Forget foi questionado dos motivos pelo qual um francês não ergue um Grand Slam. São quase 31 anos desde que Yannick Noah faturou Roland Garros. Para ele, a boa escola não forma um gênio.

“Nossos jogadores estão indo muito bem nos últimos anos. Eles estão no top 10, mas há melhores na frente. Em alguns anos Nadal estará mais velho. A França está trabalhando duro e um dia teremos algum como Nadal, Djokovic, Federer. No caso do Federer o que faz o tênis especial da Suíça ? Onde eles ensinam o jogo, as academias que possuem não é melhor do que na França ou Brasil. Algo similar ao Djokovic que é da Sérvia. Eles são incríveis. Um dia teremos um cara incrível como o Guga que vocês tiveram. Temos uma ótima escola com muitos bons jogadores, mas a diferença de um cara muito bom e um cara incrível para ganhar Slams e ser número 1 não tem nada a ver com a escola, treinamento, técnica, e sim o seu coração.

Forget comentou da menor capacidade dos locais vencerem Roland Garros que é um defeito para o tênis francês no geral.

“O erro que cometem na França é não jogar muito no saibro. Todos os jogadores de nosso país vão jogar mais no piso duro e deveríamos fazer mais como na Espanha. Quando vão pro saibro de Roland Garros eles perdem de outros da Argentina, Espanha, etc, que treinam/jogam 10 mil horas no ano no piso lento enquanto que aqui umas quatro mil. O saibro é a melhor superfície para se tornar mais forte no mental, físico e movimentação. É um dos nossos maiores erros, é hora de mudar agora, mas isso vai levar uns cinco anos para dar resultados.”
banner
banner