X
banner

Federer destaca resgate da confiança e bom retrospecto no ATP Finals

Domingo, 03 de novembro 2013 às 15:48:12 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Por Fabrizio Gallas, em Londres - São seis conquistas do torneio que fecha a temporada com os oito melhores do ano, duas delas em Londres, em 2010 e 2011. Após uma má temporada, sua pior nadécada, e classificação apenas nos últimos dias, Roger Federer se diz confiante para o evento.

Crédito: Gustavo Werneck / Nittenis

O suíço realizou seu primeiro treino na O2 Arena na capital britânica, com o tcheco Radek Stepanek, e destacou a confiança mesmo com a série de jogos. Ele vem de três torneios seguidos com final na Basileia, Suíça, e semi em Paris. Sua estreia é contra Novak Djokovic, na terça-feira.

“Me sinto bem (fisicamente). Estou jogando bastante, mas estou feliz por estar indo nesse caminho, com muitos jogos. Hoje foi importante para o descanso, dormir e ter um dia extra amanhã, não quero ficar no overtraining para estar bem na terça-feira. Não sei se vou jogar no dia seguinte após a estreia, mas seria interessante que tivesse um dia extra a seguir. Independente disso estou feliz com meu jogo, a confiança está de volta e isso é bom”, afirmou o atual sexto do mundo que só conquistou um título este ano. O suíço também confia no bom retrospecto na competição: “Gosto daqui, não é a mais rápida do mundo, é mais lenta que a de Paris, é diferente da Basileia, é preciso um ajuste a ser feito. Costumo jogar bem aqui, não sei se são as condições, se é indoor, fim de ano, ou o que seja, mas costumo ir bem aqui normalmente”.

Para Federer, a série corrida no fim de ano será um teste para todos os tenistas no ATP Finals que começa nesta segunda-feira: “Acho que será um teste sim. Depende de como os tenistas participaram deste fim de ano. Será uma batalha física e mental, alguns, como eu, vem de série de torneios e outros ainda tem a Copa Davis”.

Depois de Djokovic, o suíço enfrentará Richard Gasquet e Juan Martin Del Potro (em ordem a ser definida). Ele comentou o que espera de cada um: “Djokovic está jogando em um nível ótimo e ganhou tudo nessa parte final do ano. Juan Martin ganhou dois torneios, fez final em outro, o enfrentei duas vezes. Ele parece mais cansado, mas dentro de quadra consegue jogar bem, talvez ele fique mais cansado depois, mas é difícil batê-lo. Richard jogou muito tênis , foi bem no US Open, mas é interessante ver quanto sobra pra ele. Mas no geral todo mundo que está aqui no ATP Finals está em boa forma e pode jogar um ótimo tênis e isso torna o evento interessante de novo”.

Sem definição de técnico. Feliz com Severin Luthi - Depois de demitir Paul Annacone logo após o Masters 1000 de Xangai, na China, em outubro, Roger Federer já disputou duas competições sem um técnico fixo, apenas com a ajuda do capitão suíço da Copa Davis, Seerin Luthi. Ele foi mais uma vez perguntado se já havia pensado em um novo treinador, mas disse estar feliz com sua equipe atual.

“Não pensei ainda (sobre novo técnico), estou muito feliz com minha equipe agora, com o Severin (Luthi)que está comigo há tanto tempo e houve continuidade, ele não pode ficar comigo 40 semanas por ano, também não quero impor nada em sua vida pessoal.”
banner
banner