X

Gasquet sonha reviver vitória de juvenil contra Nadal

Quarta, 04 de setembro 2013 às 23:58:46 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
“Foi uma grande vitória para mim”. Richard Gasquet repetiu esta frase umas três ou quatro vezes em sua coletiva de imprensa após derrotar David Ferrer em cinco sets nas quartas de final do Aberto dos Estados Unidos e alcançar sua primeira semi em seis anos em Grand Slams.

Com um retrospecto negativo de 8 a 1 para Ferrer, liderando por 6/3 6/1, o francês admitiu que nunca pensou que o rival quarto do ranking estivesse morto: “Mesmo liderando por 2 sets a 0 sabia que enfrentava o David Ferrer e sabia do quão lutador ele é. Ele jogou bem no terceiro set, foi um pouco melhor que eu no 4º set, joguei um mal game no 3/2. Sabia que precisava manter o saque no quinto. Abri 4/1 e lutei muito no final, estava nervoso no 5/3 e saque, pra chegar à semi do US Open, mas consegui, é uma grande vitória pra mim”, disse o tenista que enfrentará no sábado Rafael Nadal por vaga em sua primeira final de Grand Slam.

Richard é duas semanas mais novo que Nadal e enfrentou o espanhol em um torneio juvenil em Tarbes, na França, onde o venceu. Na época eles tinham 13 anos. Foi a única vitória do francês que lembra do feito pelos vídeos na internet: “Pessoas comentam daquele vídeo no Youtube e quando vejo nem eu acredito que ganhei dele (risos)”, brincou Gasquet que no profissional nunca conseguiu esse feito perdendo todos os seus dez jogos contra ele.

“Lembro que venci por 6/4 no 3º set e disse ao meu pai que ele era muito lutador, com 13 anos. Venci daquela vez, mas desde então, não mais... É muito legal ganhar em um torneio sub 14, mas gostaria de ganhar no profissional, algo que não consegui. Mas a vida é longa, tenho 27 anos e ele também. Então por que não ? Veremos”.

Richard, que vem de dois jogos em cinco sets, acredita que o dia a mais de descanso será fundamental para jogar seu melhor tênis e buscar o triunfo: “Estou um pouco cansado após duas batalhas, mas terei dois dias para me recuperar, isso fará a diferença. Contra o Nadal é muito difícil jogar, não sou o único a ter recorde negativo com ele. Ele tem poder com o forehand. Quero fazer meu melhor para vencer. Caso contrário, nem entraria em quadra. Ninguém dirá que sou o favorito, mas quero fazer uma grande partida”.
banner
banner