X

Raí diz que ONG quer novo modelo administrativo do esporte

Terça, 30 de julho 2013 às 13:51:27 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Os esportistas Raí, Hortência, Mauro Silva e Giovane Gávio se encontraram nesta noite de segunda-feira no Clube Paineiras do Morumby durante a realização da rodada noturna do São Paulo Challenger de Tênis. O torneio com premiação de US$ 50 mil e pontos para o ranking da ATP, é apresentado pelo Itaú por meio da Lei Federal de Incentivo ao Esporte.

A organização Atletas pela Cidadania é uma iniciativa inédita que reúne atletas de diversas modalidades e que acreditam na necessidade da criação de uma política pública para a prática do esporte. Em um momento em que manifestações públicas envolvendo a Copa das Confederações e a Copa do Mundo de 2014 pedem maior moralização no esporte nacional, a ONG Atletas Pela Cidadania expõe suas ideias e projetos discutidos e amadurecidos nos últimos dois anos e que segue na mesma direção. Eles querem que cada evento esportivo como a Copa e os Jogos Olímpicos deixem um legado esportivo positivo para o Brasil.

Para Raí, diretor da ONG acredita que para alcançar sucesso nesses projetos, é preciso ir mais longe, integrar todos os envolvidos no desenvolvimento do esporte no Brasil. "Nós agora estamos com uma estrutura maior e que nos permite tratar de assuntos mais amplos, como o desenvolvimento do esporte brasileiro, integrando o legislativo, as escolas e as confederações e federações. Nosso projeto quer que o esporte cresça de forma ordenada e com a colaboração de todos os envolvidos", explicou. " O Brasil vai ser o País Olímpico, por exemplo, mas o povo não tem acesso à escola, menos de 25% das escolas no Brasil tem uma quadra poliesportiva completa e o esporte é um direito constitucional. Legado esportivo é também promover acesso da população em geral ao esporte", completou.

O São Paulo Challenger de Tênis segue até o domingo, 04 de agosto, com entrada gratuita no Paineiras do Morumby.
banner
banner