X

Pai de Djokovic dispara contra Federer e relata fim de amizade com Nadal

Segunda, 29 de julho 2013 às 10:53:22 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Srdjan Djokovic, pai e mentor de Novak Djokovic, esteve internado com problemas respiratórios e ficou entre a vida e a morte até o início deste ano. Em entrevista ao diário Kurir, ele falou do fim da amizade do filho com Rafael Nadal e da rixa com Roger Federer.

"Nadal era seu melhor amigo enquanto ele estava ganhando. Depois, quando a situação mudou, a amizade não permaneceu. Não é um esporte. Isto é o que Novak tem em si, e não o fazem", disse Srdjan que mostrou chateação com Roger Federer: "Federer ainda pode ser o melhor jogador de tênis da história, mas como um ser humano é exatamente o oposto. Ele atacou Novak na Copa Davis, em Genebra, em 2006. Ele percebeu que era o seu sucessor, e de todas as maneiras tentou desacreditá-lo. O sucesso de Novak é uma coisa incrível e algo que não se pode entender".

Com Andy Murray a situação é diferente e os dois são amigos: "Com Andy é diferente. Eles cresceram juntos, os dois iam juntos aos torneios, saíam juntos, jogavam tênis, futebol, cresceram sendo bons amigos inclusive durante o profissional. Nunca vi inveja na família Andy coma Novak. Sua mãe veio ao vestiário após a final de Roma e o cumprimentou. Andy é um grande exemplo de desportista, que controla as derrotas como um cavalheiro. Novak e ele batalham quando competem por um grande troféu, mas são competidores mais justos, e quando terminarem suas carreiras serão grandes amigos".

Srdjan contou ainda que aos 10 anos de idade Novak dizia "querer ser um grande campeão de tênis" e que a partir daí se submeteu a muitos sacrifícios para que o filho chegasse no topo ainda mais com a Sérvia em guerra. Além de morar de aluguel por vários anos, a família Djokovic pedia dinheiro emprestado a amigos para levar o filho aos torneios.

"Todos estavam fechados. Foi uma situação muito difícil no país, as sanções, o bombardeio. Havia pessoas que eram capazes de ajudar, mas não viam o que era o mundo. Nunca na história do tênis júnior europeu havia um jogador com títulos em todas as faixas etárias, com 14, 16 e 18. Foi terrivelmente difícil. Embora tenhamos tido um trabalho que nos trouxe o dinheiro, os seus custos foram maiores. Tivemos que, no início, pedir dinheiro emprestado a um agiota. Eles estavam me cobrando por até 15 por cento de juros por mês", contou Srdjan que continuou.

"Nós vivemos 17 anos em casa alugada, os proprietários ameaçavam nos despejar. Eu não conseguia dormir à noite, andava pela rua. Cheguei a ser detido por uma confusão. Só estava sentado na estação, rindo e bebendo conhaque na parte da manhã".

O pai do atual número 1 e dono de seis Grand Slams comentou o que o orgulha sobre o filho: "Como uma criança ele ficava terrivelmente irritado quando perdia. E não lidava com isso da maneira correta. Eu sempre dizia que se deve perder e felicitar o adversário. A perda é muito melhor do que a vitória quando começa a tortura. A derrota faz você pensar sobre o seu jogo para saber que não cometa os mesmos erros na próxima vez. Ele aprendeu e veja por si mesmo como ele se comporta".
banner
banner