X

Toni confessa: 'Pensávamos que nunca mais ganharíamos um Masters'

Terça, 19 de março 2013 às 11:24:50 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Tio e treinador de Rafael Nadal, Toni Nadal conversou com o programa esportivo El Larguero, da cadeia de rádios espanholas SER, e comentou o período de sete meses de dúvidas da equipe e do tenista. Toni confessou que as esperanças de vencer um Masters já não existiam.

Toni, que não acompanhou Rafa durante a campanha na Califórnia, contou que esteve em Barcelona e que pouco acompanhou os jogos do sobrinho pela TV. "Não gosto de acompanhar assim, prefiro na quadra, onde posso sentir o que acontece", disse.

O treinador disse que ficou na Espanha, pois provavelmente acompanharia o sobrinho em Miami. "Não sabíamos se íamos a Indian Wells ou Miami, então tudo foi uma surpresa", comentou em referência a boa campanha do sobrinho. Para Toni não só a chegada à final foi uma surpresa: "o joelho teve um bom desempenho, o permitiu correr. Então, tudo isso junto nos foi uma grande surpresa. Principalmente o conquistar o título", confidenciou.

Tio Toni contou o momento de provação passado por Rafa, ele e toda a equipe: "A vida nos impôs uma prova realmente dura. Estava há sete meses fora da competição, cheio de dúvidas, sem luz. No final valeu a pena, pois a vitória de ontem (domingo) é uma recompensa do sofrimento destes meses".

Perguntado se tiveram dúvidas sobre se não seria como antes, o treinador respondeu de forma afirmativa: "Claro. Tivemos dúvidas, acho que somos muitos os que temos dúvidas nessa vida. Tenho dúvidas de quando tudo vai bem e também quando as coisas vão francamente mal. Pensávamos que não voltaríamos, nunca mais, a levantar uma taça deste nível (Masters) com Rafael, mas olha: estou muito contente pela vitória".

O tio de Rafael Nadal comentou que o pior período para a equipe foi novembro de 2012: "Parecia que não sairia da lesão, a situação estava muito feia. Fomos vendo que a recuperação não chegava e que ficava mais distante o retorno às quadras. Nestes momentos tinhamos dúvidas de tudo".

Toni contou que, obviamente, quem mais sofreu no processo de recuperação foi Rafael. Segundo o tio do natural de Manacor, ver a evolução dos rivais e como o circuito era jogado sem ele foi "doído". Para Toni o fato de não ir às Olimpíadas e ainda ter os retornos frustrados ao US Open e ao ATP Finals entristeciam o sobrinho. "Por falta de sorte não conseguimos ir a Austrália também, então é normal que um jovem como Rafael fique impaciente", resumiu.
banner
banner