X

Matosevic quer ser top 30, mas afirma: 'número 1 australiano é Lleyton Hewitt'

Sábado, 24 de novembro 2012 às 14:13:32 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
O australiano Marinko Matosevic, 49 da ATP e atual número um de seu país, afirmou em entrevista ao jornal The Sunday Age que seu principal objetivo para 2013 chegar ao top 30. Seu técnico revela que convivência com Lleyton Hewitt foi a chave para o sucesso.

O tenista de 27 anos viveu em 2012 a melhor temporada de sua carreira, na qual fez sua primeira final de torneio ATP, em Delray Beach nos Estados Unidos, entrou no top-50 e fechou o ano como 49º a frente da promessa local Bernard Tomic, 52 do ranking. A grande campanha de Matosevic o levou a ser o número um do país e a ser escalado para jogar a Copa Davis.

Conhecido como intempestivo e indisciplinado, Matosevic busca afastar de si a imagem de principal tenista do país. "É um pouco assustador pensar nos nomes que vieram antes de mim, porque sou apenas (o número 49) e todos esses caras (Patrick Rafter e Lleyton hewitt) foram número um do mundo", disse. Realista, Matosevic sabe que não chegará ao posto de melhor do mundo: "não acho que eu vá chegar ao número um, mas estou feliz que conseguir ser o número um da Austrália", relatou.

Natural da Bósnia-Herzegovina, Matosevic faz questão de ressaltar que o real número um australiano é Leyton Hewitt, atual 82 do mundo. "Ele carregou esta bandeira (a da Austrália) por mais de uma década. Sinto que ele é "o cara" do tênis australiano".

Marinko revelou ainda o segredo para estar entre os 50 melhores do mundo. O tenista contou que ao cair para depois do 200 do ranking se reuniu com seu técnico e com um importante piscológo esportivo australiano, Anthony Klarica, e decidiu que iria reagir. Nas sessões de terapia escrevia seus objetivos em papéis e só os jogava fora depois de conseguí-los. "Escrevi top 150 e depois 100 eram meus objetivos para o próximo ano (2012)", contou.

O técnico do tenista, Josh Eagle, afirmou que Matosevic era do tipo que sempre achava um jeito de colocar a culpa de suas derrotas em um terceiro, "ele era muito rápido nisso de achar um culpado", revelou. A partir desta reação, Matosevic passou a treinar com Hewitt e ao ver a aplicação e disciplina do compatriota mudou de atitude, de acordo com Eagle.
banner
banner