X

Guga não disputará Roland Garros e fará reabilitação com Nilton Petroni

Segunda, 08 de maio 2006 às 15:20:09 AMT

Link Curto:

Guga - Coletiva Sheraton

Por Fabrizio Gallas

Depois de passar quase dois meses em tratamento nos EUA, Guga retornou ao Brasil e confirmou, em entrevista coletiva concedida no Rio de Janeiro, que não irá disputar Roland Garros. Esta será a primeira ausência de Guga do Aberto da França desde 1996, quando furou o quali e entrou na chave principal. O catarinense disse pretender voltar às quadras em julho. Ele também falou de seu tratamento no quadril com o Dr. Marc Philippon nos EUA e anunciou que começará um trabalho de reabilitação com o fisioterapeuta Nilton Petrone, o Filé.

Foto: Ricardo Alencar, Tênis News

Cadastre-se e concorra a uma camisa Tênis News autografada por Guga, Meligeni, Saretta, Alves e Sá

"Não vou jogar Roland Garros. É triste. Mas estabelecemos uma meta para voltar somente no 2º semestre a partir de julho se eu tiver bem preparado e em condições. Vou lutar muito para voltar." disse o ex-número um do mundo que mostrou muito otimismo com sua recuperação, mesmo não atuando no torneio que que foi tricampeão em 1997, 2000 e 2001.

Caso volte no prazo estipulado o brasileiro jogaria torneios no piso de saibro, na sequência irá priorizar a preparação em quadra dura para a disputa do US Open em agosto: "Pretendo voltar no saibro , jogar algumas semanas e aos poucos que for pegando ritmo já penso na quadra dura pro US Open." assegurou o tenista que não descartou a hipotese de jogar Challengers: "Se tiver uma janela no calendário de algum Challenger que possa entrar no meu calendário eu vou jogar."

Já a parceria com Nilton Petrone tem como objetivo fortalecer o quadril de Guga. Filé foi fisioterapeuta responsavel pela recuperação do craque Ronaldo, hoje no Real Madrid: "As coisas acontecem na hora certa. Tenho boas referências dele, preciso de uma pessoa, um profissional de primeira linha que tenha o costume de trabalhar com atletas de grande porte." disse Kuerten.

A parceria com o fisioterapeuta de 45 anos, 20 deles dedicados a profissão, servirá para dar estabilidade ao quadril do brasileiro, curar alguns vicios na movimentação e na sequência botar o tenista num bom nível de jogo junto com sua equipe de preparação física e técnica

"O trabalho visa curar vicios que tenho como a movimentação para a direita na hora de jogar. Eu abro a perna e fico sem fixação para abrir e fechar. A base do problema é a estabilidade no quadril." admitiu Kuerten que alternará idas ao Rio de Janeiro e Florianópolis e Buenos Aires, lugar pelo qual tem tenistas de ótimo nível para treinar: "O Filé vai ficar alguns dias comigo aqui no RJ. Vou procurar ir a Buenos Aires quando estiver treinando para pois lá sempre tem gente de alto nível para jogar."

O tenista também contou também sobre os dias dificeis que teve nesse tempo sem jogar e nos quase dois meses no Colorado, EUA. Ele se tratou a base de ácido hilaurionico com o Dr. Marc Philippon que efetou sua segunda cirurgia: "Foi um momento difícil. Fiquei dois meses no frio, nevando, toda semana fazendo aplicação do ácido. As vezes no final de semana eu podia ir pra quadra."

"A pior coisa pra mim era conviver na rotina, no dia-a-dia com essa dor, até mesmo porque sou muito exigente comigo mesmo, as vezes não conseguia render o que queria nos treinamentos e isso me deixava frustrado e é o que não quero hoje. Estou parando agora, procurando me reestruturar de novo, busca mais força. Não sei se em dois, seis meses ou ano se vou voltar, mas vou continuar tentando. O que não quero é voltar jogar e ter que parar de novo. Gosto de treinar jogar, sou um cara competitivo, mesmo que tenha que ficar muito tempo dentro de quadra."

O processo de volta as quadras de Guga será árduo. Mas como sempre ele demonstra pensamento positivo e confia na volta as quadras, descartando a hipótese de pendurar a raquete: "Sei o que quero dem mim pra competir. Quero voltar no nível dos caras, numas semanas posso jogar bem ganhar torneios e acabar de vez com todas especulações que possa parar de jogar. Mas eu respeito esse trabalho da imprensa levantando essas questões quando a gente não vai bem." concluiu.
banner
banner