X

Nadal quer seguir fazendo história e se diz um jogador completo

Sexta, 16 de julho 2010 às 15:09:20 AMT

Link Curto:

Nadal - Wimbledon 10 - Campeão
O espanhol Rafael Nadal concedeu essa semana uma entrevista exclusiva à revista americana Sports Illustrated e falou, entre diversas coisas, sobre sua motivação para jogar tênis, seus número e recordes na carreira, e ainda opinou sobre o futuro de seu grande rival, Roger Federer.

O atual número 1 do mundo rejeita o rótulo de especialista no saibro, pois se considera um jogador completo: “Não me sinto um especialista em piso lento, nem agora e nem quando não estava ganhando nas superfícies rápidas. Já joguei meu melhor tênis em quadras duras e infelizmente não ganhei. Mas acho que sou um jogador completo e posso jogar bem em qualquer tipo de quadra. Você pode até dizer que eu tenho cinco títulos em Roland Garros, mas já ganhei na Austrália, duas vezes em Wimbledon e fiz semi no US Open nos últimos dois anos”.

Rafa tem oito títulos de Grand Slam com apenas 24 anos e muitos o colocam como o jogador que vai superar Roger Federer como o maior de todos os tempos. Contudo, o natural de Manacor assegura que não pensa nisso e ainda vê como difícil a missão de igualar os 16 Majors do suíço.

“Eu tenho 24 anos e é muito difícil falar onde estou na história do esporte agora. Igualei nomes como Connors, Agassi e Lendl nos Grand Slams, mas acho que os Majors não são tudo. Tenho 8 Grand Slams e 18 Masters 1000, outro número fantástico, e hoje sou muito feliz porque nunca na minha vida poderia imaginar que um dia ganharia tanto”.

“Mas acho difícil comparar com o Roger, são carreiras diferentes. Para Federer acho que talvez seja mais fácil do que para mim, porque ele se adapta melhor às superfícies rápidas, e tem três Grand Slams assim no ano, enquanto eu que jogo bem no saibro só disputo um Major nesse piso ao longo do ano. Sei que posso ganhar na Austrália e em Wimbledon de novo, e ainda no US Open onde joguei bem e bati na trave nos últimos dois anos, mas minhas chances não são grandes”.

E por falar em Federer, o suíço não vive boa fase, caiu nas quartas em Roland Garros e Wimbledon e atualmente é o número 3 do mundo. Apesar disso, Nadal acredita que seu grande rival vai dar a volta por cima e voltar a jogar em seu melhor nível.

“Todo mundo disse a mesma coisa dele há dois anos e desde então ele ganhou o Aberto da Austrália, o US Open, Roland Garros e Wimbledon. Roger tem muita experiência e é bom o suficiente para reverter essa situação, então vamos aguardar e ver o que acontece. Com certeza será difícil para ele repetir o que fez nos últimos seis, sete anos, mas não tenho dúvidas de que ele estará brigando no topo novamente”, finalizou.
banner
banner