X
banner

Justiça anula eleição da CBT e nomeia administrador

Terça, 26 de abril 2005 às 21:38:42 AMT

Link Curto:

CBT
A queda de braço entre atual e antiga diretoria da Confederação Brasileira de Tênis parece longe de desfecho. Nesta terça-feira, o juiz Eduardo Luiz Rocha Cubas, da 17ª Vara Federal de Brasília, deu ganho de causa à Federação Mineira e anulou a Assembléia Eletiva de 17 de dezembro, que içou Jorge Lacerda da Rosa à presidência da entidade.


O juiz é o mesmo que afastara em 7 de dezembro o então presidente da CBT, Nelson Nastás, por suspeitas de irregularidades administrativas. Cubas nomeou como administrador provisório Rodrigo Ribeiro de Oliveira, que tem o prazo de 30 dias para convocar novas eleições. Segundo Cubas, Oliveira não tem ligação com o tênis.

De acordo com a decisão, emitida em documento de sete páginas, o pleito de dezembro ocorreu em desconformidade com o Estatuto da Confederação Brasileira. A assembléia foi presidida por Paulo Rogério Amoretty, em vez do interventor designado Sérgio Oprea de Carvalho. Amoretty é advogado da atual diretoria da CBT e foi responsável pela ação da Federação Brasiliense que derrubou Nastás do cargo.

"Essa ocorrência pode induzir a idéia de existência de favorecimento entre o Administrador e o Autor da ação principal, o que macula a condução do pleito", afirma Cubas. "Se a intervenção judicial visa sanear uma entidade, cuja administração fora afastada por suspeitas de irregularidades, é inconcebível que logo no início desse procedimento sejam suscitadas dúvidas quanto à ética e correção do mesmo".

Segundo Cubas, Oprea também infringiu o estatuto ao permitir a participação de federações devedoras nas eleições. "O Administrador Judicial deveria ter sido um fiel defensor da legalidade, fazendo cumprir exatamente o disposto no Estatuto, especialmente em tratar de situação excepcional, em que o Poder Judiciário atuou na atividade administrativa de uma associação".

Fonte: TenisBrasil
banner
banner