X

Safin e estrelas jogam com Zico no Maracanã

Quinta, 11 de março 2010 às 19:35:22 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Por Fabrizio Gallas

Os tenistas que disputarão o Banco Cruzeiro do Sul Rio Champions de sexta a domingo, no Macaranãzinho, foram apresentados a dois gigantes do futebol brasileiro nesta quinta-feira, depois da coletiva de imprensa de abertura do evento: zico e o Maracanã.

Marat Safin, Mark Philippoussis, Jim Courier, Mats Wilander, Cedric Pioline, Mikael Pernfors e Fernando Meligeni, sete dos oito astros do torneio (Wayne Ferreira, que completa o time de feras, chega à cidade na noite desta quinta) foram levados ao gramado do estádio pelo eterno ídolo do Flamengo e participaram de um bate-bola descontraído com o maior artilheiro do Maracanã.

Zico recepcionou os tenistas na entrada do campo e entregou, em nome da organização do torneio, camisas da Seleção Brasileira a todos eles. Depois da tradicional foto oficial do “time”, levou os jogadores para o gol e organizou uma rodinha em que, segundo o Galinho, apenas o sueco Mikael Pernfors mostrou alguma intimidade com a bola. Os tenistas se esforçaram para marcar um gol no Maracanã, tentando passar pelo goleiro Meligeni, mas o destino mais frequente da bola foi mesmo o fosso do estádio. Zico chegou a brincar de goleiro em cobranças de pênalti. Safin e Philippoussis, por exemplo, isolaram suas cobranças.

"Sempre acompanhei tênis e admiro todos esses caras, conheço um pouco da carreira de todos eles. O Wilander é mais do meu tempo, o Courier também, mas também gostava muito de ver o Safin jogar, na época em que chegou a ser número 1 do mundo", disse Zico, elogiando a performance de Mikael Pernfors no descontraído bate-bola no Maracanã. "O único que leva algum jeito com a bola é o Pernfors. Os outros não tem a menor habilidade, nem o Meligeni que é brasileiro", brincou o maior nome da história do Flamengo.

Fã de futebol, Safin já tinha ouvido falar sobre o “maior do mundo”, e embora o estádio tenha capacidade menor à que ele imaginava, impressionou o russo.

“Achava que eram 200 mil pessoas, agora sei que é quase a metade disso, mas ainda assim é gigante!”, brincou Safin, torcedor do Spartak Moscou. “É uma honra conhecer o Maracanã e ter a chance de bater uma bola com o Zico, que é um grande ídolo. Nos divertimos muito no gramado, mas acho que como jogadores de futebol somo muito bons tenistas”.



banner
banner