X

Tabu no feminino da Copa Gerdau dura desde 1996

Quinta, 11 de março 2010 às 13:38:37 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
A 27ª edição da Copa Gerdau de Tênis colocará em quadra, mais uma vez, a oportunidade para que as brasileiras acabem com um tabu que já dura mais de uma década na categoria 18 anos feminino. Desde 1996 nenhuma jogadora local conseguiu chegar ao título de simples.

A última campeã foi a gaúcha Miriam D'Agostini, que naquele ano venceu na decisão a chilena Karen Harboe. Mais tarde, Carla Tiene, em 1998, conseguiu chegar à decisão, quando acabou derrotada pela eslovena Katarina Srebotinik. E em 2007, Roxane Vaisemberg teve uma grande chance para interromper a série de vitórias estrangeiras, mas perdeu na final para a francesa Cindy Chala.

IMPORTÂNCIA - Formada em Publicidade e atualmente morando no Rio de Janeiro, Miriam D'Agostini lembra com carinho de suas participações na Copa Gerdau. "Vencer em Porto Alegre foi super importante. A Copa Gerdau significava tanto para mim, que escolhi encerrar a minha carreira de juvenil neste evento", recorda a hoje mãe de Gabriela, 4 anos, e Guilherme, 2 anos e meio. Sobre o tabu na categoria 18 anos, a gaúcha lamenta a atual situação do tênis feminino. "Na verdade, fico triste porque eu adoraria ver as meninas brasileiras indo bem no juvenil e, melhor ainda, entre as top 30 no profissional. Isso só prova que ainda estamos longe de ter uma estrutura bacana para os brasileiros", avalia.

Quanto ao desempenho dentro de quadra, Miriam acredita não haver uma receita vitoriosa, mas indica algumas características que a jogadora deve ter. "É preciso treinar duro, querer muito jogar e ganhar, e ter uma boa cabeça. Isto ajuda bastante", aconselha. Como principais diferenças no estilo atual em comparação com a época em que jogava, Miriam destaca a força das tenistas. "Hoje em dia todo mundo está muito forte fisicamente, batendo muito na bola. Não existe muito espaço para quem não jogar de forma agressiva".

JOGADORAS DE DESTAQUE - Ao longo de sua história, a categoria 18 anos feminino sempre atraiu jogadoras de destaque no ranking juvenil mundial e que mais tarde acabam fazendo sucesso como profissionais. A tenista do Zimbabwe, Cara Black, venceu os 18 anos, em 1997; a eslovena Katarina Srebotnik foi campeã em 1998; a argentina Gisela Dulko venceu em 1999; a húngara Nemeth Tunde ganhou em 2000; a croata Matea Mezak foi campeã em 2001, quando derrotou ninguém menos que a russa Svetlana Kuznetsova; a suíça Myriam Casanova venceu em 2002, ano em que a Copa Gerdau contou também com a presença de Ana Ivanovic, da Sérvia. A ucraniana Kateryna Bondarenko sagrou-se campeã em 2003; a russa Irina Kotkina chegou ao título em 2004; a romena Alexandra Dul Gheru ganhou em 2005 e a tcheca Katerina Vankova em 2006. Em 2007, foi a vez da francesa Cindy Chala. Em 2008 o título ficou nas mãos da romena Elena Bogdan. No ano passado, a vitória foi da croata Silvia Njiric.

O Campeonato Internacional Juvenil de Tênis de Porto Alegre - 27ª Copa Gerdau de Tênis terá o qualifying realizado neste final de semana (13 e 14/03). A chave principal começa na segunda-feira, dia 15, e segue até o dia 21. O evento é considerado um dos mais importantes do calendário tenístico mundial juvenil, contando pontos para o Grupo A na categoria 18 anos (a mais alta graduação) ao lado dos quatro Grand Slams: Wimbledon, Roland Garros, US Open e Australian Open, além dos torneios nos Estados Unidos (Orange Bowl), Itália (Italian Open), Japão (Osaka Cup) e México (Casablanca Cup). No total, mais de 800 jogadores de 47 países se inscreveram na competição.
banner
banner