X

Melo joga bem, mas fica com o vice de duplas mistas em Roland Garros

Quinta, 04 de junho 2009 às 15:56:05 AMT

Link Curto:

Melo/Sá - II
Por Fabrizio Gallas, direto de Paris

Não deu para o brasileiro Marcelo Melo. Jogando o lado da norte-americana Vania King, o mineiro foi derrotado na final de duplas mistas em Roland Garros em uma partida apertada diante da parceria favorita formada pelos americanos Bob Bryan, terceiro do mundo de duplas masculino, e Liezel Huber, líder do feminino, por 2 sets a 1 de virada com parciais de 5/7 7/6 (7/5) 10/7 após 1h37min de duração. Melo comemora vice: 'Só tenho coisas boas a tirar dessa campanha'

Melo e King começaram mal o jogo, foram quebrados logo no primeiro game do saque do brasileiro que viu sua parceria tomar dois lindos lobs e errou dois voleios. Os rivais abriram 2/0 com facilidade e dava pinta que a partida seria fácil. Todavia Melo e King elevaram o nível, passaram a acertar os voleios, mostraram entrosamento e focaram o jogo em Huber que cometia erros bobos. Eles devolveram a quebra e empataram em 4/4 e obtiveram dois set-points no saque da americana em 6/5. Melo cometeu um erro não-forçado no primeiro e Huber jogou na rede no segundo dando 7/5 para a dupla do brasileiro.

O segundo set foi com ótimas jogadas das duas parcerias que sacaram muito bem a praticamente não deram oportunidade aos devolvedores. O duelo foi ao tie-break e os americanos estiveram comandando o placar quase que o tempo todo até a dupla do brasileiro empatar 5/5. Eles obtiveram um set-point e foram pra cima do saque de King para fechar em 7/6 (7/5).

A decisão do título foi então para o 'match tie-break', onde novamente o favoritismo de Bryan e Huber falou mais alto e os estrangeiros ficaram sempre na frente, abriram 8 a 5, viram Melo/King encostarem em 8 a 7. Mas Bob fez seu primeiro saque e no segundo cravou um ace para fechar em 10/7.

A última vez que um brasileiro venceu o torneio de duplas mistas na capital francesa foi em 1975, quando Thomaz Koch ergueu o troféu ao lado de Fiorella Bonicelli. O país não tinha um representante na final de um Grand Slam desde Gustavo Kuerten em 2001, quando o catarinense sagrou-se tricampeão em Roland Garros.

O últimi brazuca a alcançar a final de mistas havia sido Jaime Oncins que foi vice ao lado da argentina Paola Suarez em 2001. Em 1982, Cássio Motta perdeu a final ao lado da brasileira Cláudia Monteiro.

O torneio de duplas mistas é de exibição e dá prêmios, porém não conta pontos no ranking.
banner
banner
banner