X

Léo Azevedo inicia trabalhos no tênis americano

Quarta, 03 de junho 2009 às 09:14:44 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
O treinador Leo Azevedo, patrocinado pela Topper, deu início aos seus trabalhos na USTA com Jose Higueras, um dos mais conceituados treinadores do mundo. O brasileiro está em Boca Raton, na Flórida, onde começou uma nova etapa em sua bem-sucedida carreira, agora internacional.

O treinador é o primeiro brasileiro a ser convidado para trabalhar na USTA.

"Estou muito motivado. É um projeto novo e fico lisonjeado de poder fazer parte de uma federação tão importante, organizada e com uma estrutura invejável", revela.

Segundo Azevedo, o projeto a longo prazo da Federação consiste em ensinar jogadores mais jovens a jogar no saibro. Para isso, será necessário transmitir conceitos de porcentagem, alturas, efeitos e movimentação, saindo do tradicional "saque e voleio" que caracteriza o atleta de quadras rápidas.

"Geralmente o jogador que cresce no saibro sabe trabalhar o ponto melhor e fica mais forte mentalmente. Isso, claro, sem perder a essência da cultura americana de tênis de jogar ofensivamente, de ter bons sacadores e voleadores", explica o treinador.

O fator chave para o salto na carreira do brasileiro foi a atuação bem-sucedida durante os três anos que permaneceu na academia de Juan Carlos Ferreiro, na Espanha, onde adquiriu experiência e confiança dos treinadores espanhóis. Foi dali que saiu, inclusive, a indicação para o projeto americano ao lado de Higueras, que já treinou jogadores como Michael Chang, Pete Sampras, Jim Courier e Roger Federer, entre outros.

Com um vasto currículo, Azevedo é considerado um dos mais atualizados técnicos do Brasil, principalmente por ter obtido resultados expressivos no país com Flávio Saretta e também com Thomaz Bellucci. No ano passado, Leo ajudou o tenista a ser o número 1 do Brasil, saltando de 202º do mundo para o top 100 em apenas um ano. O último trabalho de Léo no Brasil como treinador foi com o tenista paulista Caio Zampieri, com quem trabalhou desde o final da parceria com Bellucci, em novembro de 2008.

Agora o técnico quer repetir a boa atuação que teve na Espanha para passar todo o conhecimento adquirido aos Estados Unidos e ser reconhecido novamente pelo seu trabalho.

"Meu objetivo é aprender o que puder com relação à cultura do tênis americano e também da cultura em geral deles. E espero que dentro de alguns anos se lembrem desse novo projeto. Seria uma satisfação muito grande ter meu trabalho reconhecido fora do país de novo. Este é um grande desafio e uma grande responsabilidade", completa.

banner
banner
banner