X

Alves bate francês e fica a uma vitória de Roland Garros

Quarta, 20 de maio 2009 às 12:58:35 AMT

Link Curto:

Thiago Alves - RG 09 II

Por Fabrizio Gallas, direto de Paris

O paulista Thiago Alves, número dois do Brasil e 118 do mundo, segue firme no qualifying do Aberto de Roland Garros e esta a apenas uma vitória de disputar a chave principal do segundo Grand Slam da temporada pela primeira vez na carreira.

O 13º cabeça-de-chave do qualificatório sofreu mais uma vez, mas bateu o francês Edouard Roger-Vasselin (162º) por dois sets a um com parciais de 7/5 3/6 6/3 em 2h08min em partida realizada na quadra 7 do Stade de Roland Garros que contou com torcida contra diante de 2 mil franceses.

Alves teve um primeiro set complicado. Vasselin começou dominando os pontos da base, tendo chances no serviço do brasileiro e sacando com firmeza. O brazuca quase não fez ponto até o fim da parcial. Vasselin teve um set-point no saque do brasileiro que se salvou com winner. No game seguinte o local abriu 40/15, mas errou uma deixada e Thiago conseguiu bom ponto. O francês perdeu o foco, errou mais duas e Alves conseguiu a quebra e fechou o jogo com autoridade.

Na segunda parcial Thiago começou firme, colocando pressão e Vasselin parecia ter sentido o momento ao seguir nos erros. O brasileiro teve 15/40 no primeiro game, mas Vasselin tirou um ótimo serviço aberto e depois um winner de revés para se salvar. A confiança mudou de lado e Vasselin aproveitou uma pequena queda de Alves para abrir 4/1 e sustentar a ponta até o fim do set.

Alves não baixou a cabeça e começou bem na terceira etapa abrindo 3/1. Vasselin se recuperou, devolveu a quebra, mas Alves tornou a quebrar. O game chave foi o sétimo quando Alves sacou, salvou breaks e fez 5/2. No último game o drama. Alves abriu 30/0, Roger empatou, e depois Thiago teve três match-points. Dois deles foram jogados com coragem pelo oponente mepurrado pela torcida. No terceiro o brasileiro escorregou e não chegou a tempo no winner do rival. Todavia Alves tirou um lindo voleio curto da cartola e fechou o duelo com erro do oponente. Alves comemorou muito o triunfo batendo no peito e apontado para Carlos Albano, seu técnico que acompanhava a partida no fundo da quadra.

O natural de São José do Rio Preto repete a campanha do ano passado em Paris quando também chegou até a última fase do quali.

Para disputar pela primeira vez na carreira a chave do torneio e pela terceira vez a de um Grand Slam (jogou o US Open em 2005 e 2007, tendo alcançado a 2ª rodada em ambas as ocasiões), Alves terá que bater na terceira e decisiva rodada do quali o vencedor do duelo entre o sueco Bjorn Rehnquist e o polonês Lukasz Kubot.
banner
banner