X

Saretta e Alves vencem e Simoni perde nas semifinais do Challenger de São Paulo

Sexta, 06 de janeiro 2006 às 13:58:20 AMT

Link Curto:

Flavio Saretta - São Paulo II
Flávio Saretta, cabeça-de-chave número 2 e 109 do ranking mundial, garantiu presença na semifinal do Aberto de São Paulo, ao derrotar o alemão Ivo Klec por 2 sets a 0, com parciais de 6/4 e 7/5. Saretta enfrenta na semifinal o norte-americano Eric Nunez que venceu o chileno Jorge Aguilar por 6/2 e 6/3.


A catimba do alemão que, segundo Saretta, parecia um argentino, não desestabilizou o brasileiro: “É muito difícil jogar contra um cara desse tipo. Eu não o conhecia, mas é daquele tipo que acha que joga muito mais do que a realidade. Ele é displicente, fica no fundo sem mexer as pernas, procura desconcentrar o adversário. É daqueles jogadores que acreditam que podem decidir o ponto a qualquer hora. Mas não deu pra ele hoje”, disse.

Saretta explicou que um dos fatores que o levaram a vitória foi ter ficado focado todo o tempo da partida: “O cara só reclamava. Em qualquer ponto falava com os juízes, mas eu continuei concentrado. Sabia que se me descuidasse, ele poderia me tirar do jogo e até vencer”.

O brasileiro só pensa agora em relaxar para a semifinal: “O norte-americano está surpreendendo. Mas tenho certeza que o Jaime (Oncins, seu treinador) assistiu algum jogo dele e tem uma estratégia para a gente tirar proveito”, falou.

O JOGO

Saretta começou a partida mostrando tranqüilidade. Até o quinto game, o equilíbrio era visível, mas o brasileiro quebrou o alemão nesse game para abrir vantagem de 3 a 2 e fechar, mantendo seu serviço com facilidade, o primeiro set em 6/4.

No segundo set, o brasileiro quebrou o alemão de cara e parecia que as coisas seriam fáceis. Mas no quarto set, Klec devolveu a quebra e deixou Saretta um pouco nervoso em quadra. Mas com uma quebra no 11º game, o brasileiro abriu 6/5 e sacou para fechar em 7/5, com autoridade.

Thiago Alves

O cabeça-de-chave no. 4 e 152º colocado no ranking mundial da Associação dos Tenistas Profissionais (ATP), mostrou um jogo de alto nível e não encontrou dificuldades para derrotar o argentino Martin Vassallo-Aguello (221), por 6/2 e 5/3 (desistência), passando às semifinais.

Thiago enfrentará na semifinal o argentino Sérgio Roitman, que derrotou o brasileiro Alexandre Simoni.

“O importante para mim é a vitória. Não interessa se o adversário abandonou. Eu sei que joguei bem e a vitória estava em minhas mãos, pois ele abandonou quando faltavam apenas dois pontos para a minha vitória”, disse Thiago Alves.

O brasileiro disse estar emocionado com o fato de chegar à semifinal do Aberto de São Paulo: “É sempre um torneio muito difícil, o primeiro do ano. Falta um pouco de ritmo, mas a gente tem que compensar isso com muita vontade. Espero que o público tenha a oportunidade de ver uma final brasileira. O Saretta está jogando muito bem. O Simoni também tem chance de avançar. Será muito bom para a galera, pois o título ficará aqui no Brasil. Vamos torcer para isso”, finalizou.

Simoni


O argentino Sergio Roitman, cabeça-de-chave no. 5 e 169º colocado no ranking mundial, venceu o brasileiro Alexandre Simoni (465 do mundo) por 6/2 e 7/5 e será o adversário de Thiago Alves (cabeça 4 e 152), amanhã (sábado), nas semifinais do Aberto de São Paulo, no Parque Villa-Lobos.

O argentino esteve muito bem na partida e não deu chance de reação ao brasileiro, depois de vencer o primeiro set com facilidade: “Estou concentrado, mas me divirto muito jogando no Brasil. Gosto do clima, da torcida e, por isso, brinco em quadra. É gostoso jogar aqui”, afirmou.

Sobre Thiago Alves, seu adversário na semifinal, Roitman foi incisivo: “Será muito difícil. Ele está firme, determinado e tem o carinho do público. A torcida é muito boa, mas às vezes fala demais. Mas é normal para nós que somos latinos”, finalizou.

O brasileiro Alexandre Simoni acredita que o cansaço o atrapalhou no jogo das quartas-de-final: “Estou bem preparado, mas senti um pouco. Não consegui encaixar meus golpes como aconteceu contra o Berlocq (Carlos Berlocq, argentino e cabeça-de-chave 1 do torneio). Mas isso faz parte do tênis. O mais importante é que a competição me deu uma disposição enorme para continuar minha carreira profissional”, disse. Alexandre Simoni entrou na chave principal depois de passar pelo qualifying.

O Aberto de São Paulo será realizado até domingo (08/01), e distribui 100 mil dólares em prêmios e pontos de torneio de 125 mil dólares por oferecer hospedagem aos jogadores.

Fonte: Patricia Simon
banner
banner