X

Koch acredita que tenistas manipulem resultados

Sexta, 26 de outubro 2007 às 20:18:45 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Os tenistas seniors que estão em São José dos Campos para a disputa da nona etapa do Citibank Masters Tour tem opiniões diferentes sobre o escândalo das apostas que ronda os jogos de tênis da ATP. Para a maioria, a suposição deve se confirmar. Thomaz Koch e Marcelo Saliola acreditam na manipulação de resultados.

“As zebras existem, mas as vezes alguns resultados são muito forçados e sabemos de escândalos em outros esportes, então por que não poderia acontecer no tênis? Mas de qualquer forma, é lamentável”, disse Saliola.

“ Eu acredito nas apostas e na manipulação de resultados não só no tênis como em vários outros esportes. Sempre ouvimos falar de atletas e times que vendem resultado no basquete universitário norte-americano, no futebol, no box, embora até agora, no tênis, tudo não passe de suposição, mas acredito que alguma coisa de verdade exista, só que é muito difícil provar”, falou Thomaz Koch, segundo maior jogador brasileiro de todos os tempos.

Entre os que não acreditam que jogadores possam vender o resultado de seus jogos estão João Soares, Fabio Silberberg e Mauro Menezes. “ No tênis sempre aconteceu de eventualmente o 100o do ranking perder para o 1o do ranking e a ATP até bonificava o jogador quando isso acontecia, por isso, não acredito que alguém possa perder um jogo para ganhar algum dinheiro.

Fábio Silberberg também lembra que atualmente os jogadores podem ganhar muito dinheiro dentro de quadra, principalmente os que estão bem ranqueados e que são os que aparecem sob suspeita. “ Eles já ganham muito dinheiro, por que iriam se arriscar em um negócio desses, sem garantia nenhuma?”.

O venezuelano Nicolas Pereira, convidado especial da etapa de São José dos Campos e que atualmente vive em Miami e trabalha como comentarista de televisão, acha que a saída é mais vigilância da ATP.

“Isso começou em Londres, onde apostam até se ia chover ou fazer sol, e na Austrália, onde tinha uma casa de apostas dentro do torneio, mas os jogadores faziam apostas, simplesmente sobre os resultados, não havia manipulação. Eu acho que se existe mesmo isso, acontece em poucos torneios menores, na Europa. Mas é difícil provar e a melhor coisa é aumentar a vigilância, fiscalizar e pressionar. E se descobrir algum caso, banir o atleta do esporte para sempre”, falou Nicolas, campeão juvenil de Roland Garros, Wimbledon e US Open em 1988.

Os atletas iniciam a disputa do Citibank Masters Tour, único circuito de seniors do Brasil, nesta sexta-feira com entrada livre para o público, no Clube de Campo Santa Rita, em São José dos Campos. O evento termina no domingo, às 11 horas, com a grande final.
banner
banner