X

ATP vai descongelar ranking em agosto e cria sistema do 50%

Quarta, 03 de março 2021 às 09:30:46 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

A Associação dos Tenistas Profissionais anunciou nesta quarta-feira que só irá descongelar o ranking totalmente em agosto e criou um novo sistema onde os tenistas podem contar, a partir deste mês, 50% dos pontos conquistados em 2019.



Leia Mais:

Com aval de Federer e Nadal, ATP amplia premiação de torneios

 

O jogador terá o direito de somar 50% do que fez no mesmo evento em 2019 ou somar os pontos em 2021 caso os mesmos sejam melhores do que dois anos atrás.

A pontuação permanecerá congelada até o Masters 1000 do Canadá, em 9 de agosto, último torneio cancelado antes do retorno do circuito em 2020, no Masters 1000 de Cincinnati (que foi realizado na sede do US Open). Todos os resultados entre março e agosto de 2020 serão contabilizados em 50%. Os resultados de 2020 dos torneios de Kitzbuhel, Roma, Roland Garros e Hamburgo, que tiveram datas alteradas, também entram no plano dos 50% e serão descontados nas datas de 2021 baseado na lógica dos 50% ou se tiver melhor resultado em 2021.

A ATP desobrigou os tenistas do top 30 a disputarem os torneios ATP 500, ou seja, não serão penalizados nos torneios desta categoria até Wimbledon.

Os torneios challengers e WTT futures também seguirão a lógica dos 50%.

O ranking será descongelado totalmente no dia 16 de agosto e em 15 de agosto de 2022 o velho sistema será normalizado.

A ATP informou que a decisão dos 50% vai na linha de ajuda aos atletas que ainda enfrentam restrições de viagens diante da pandemia e quarentena obrigatória em alguns países.

 

 

Aumento em prize money nos torneios

A ATP anunciou que os torneios ATP 250 e ATP 500 vão elevar para 80% o prize money nos torneios 250 e 60% nos ATPs 500 do que originalmente era de 50%. Este virá no sistema de bônus da ATP que era destinado para os jogadores do top 12 ao fim do ano (US$ 5,2 milhões). Essa redistribuição foi votada pelo conselho dos jogadores da ATP incluindo Federer e Nadal.

 

banner
banner