X

COVID afetou mais no mental que físico, afirma Murray

Segunda, 01 de março 2021 às 10:52:23 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Andy Murray, ex-número 1 do mundo, concedeu entrevista coletiva antes de sua estreia no ATP 500 de Roterdã, na Holanda, que acontece nesta segunda. O britânico comentou que o COVID-19, que pegou em janeiro, o afetou mais na parte mental.



Veja a programação de Roterdã

 

"Estou muito emocionado por voltar a competir em um torneio desse nível. Fisicamente me encontro bem e isso é o mais importante nesse momento. Obviamente o seguinte mais importante para mim é conseguir o número máximo de vitórias possíveis e brigar por algum título", disse o escocês que no retorno fez final no challenger de Biella, na Itália, e caiu na estreia no ATP 250 de Montpellier, na França, semana passada.

 

"Para ser honesto, eu diria que o coronavírus afetou mais no aspecto mental que no físico. Como é normal, afeta um pouco o teu tênis na hora de começar a preparar os treinamentos. Tinha treinado muito duro durante dez semanas e me encontrava em um nível ótimo para poder competir, mas chegou a doença. Não me permitiram sair de casa e isso afetou no âmbito físico, também no mental".

 

"Perdi torneios muito importantes nesses últimos anos por conta das lesões. Isso me dá muita pena. Creio que ainda estou superando um pouco essa decepção. No aspecto físico me encontro muito bem".

 

Sobre a temporada 2021, ele descreveu seus objetivos: "Quero tentar ganhar muitas partidas para ior adquirindo ritmo competitivo . Robin Haase é meu primeiro obstáculo nesse torneio, jogamos algumas vezes e conhecemos com perfeição as virtudes e defeitos de cada um. É um cara talentoso e vai querer ir bem em seu país. Tenho que focar no meu jogo com total tranquilidade. Não estou acostumado a jogar cinco partidas em uma semana, necessito vencer para ir me sentindo como antes".

 

banner
banner