X

Nadal diz que não jogaria o US Open se fosse hoje

Quinta, 04 de junho 2020 às 13:45:00 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Atual campeão do US Open, Rafael Nadal concedeu entrevista ao jornal francês L'Equipe, e nela comentou que se fosse o Slam nova iorquino fosse realizado agora, ele não defenderia seu título. Ele ainda elogiou o positivismo da federação francesa.



Questionado sobre a possibilidade de jogar o US Open sem torcida, Nadal opinou: "Não é o ideal. Se você me perguntasse hoje se quero ir a Nova York para jogar o torneio, eu diria que não. Mas em dois meses, não sabemos se a situação terá melhorado. Espero que vá na direção certa. Estou convencido de que a USTA [federação norte-americana de tênis] quer um torneio em boas condições, é o mesmo que para a federação francesa (FFT). Eles querem que o torneio ocorra se todos estiverem seguros. Estou confiante de que tomarão a decisão certa, no momento certo. Se o torneio ocorrer, ele estará em condições muito seguras".

Nadal também falou sobre a decisão da FFT de adiar Roland Garros para setembro: "Não conversei muito com a federação francesa de tênis. recebi a informação de que eles queriam mudar a data dez minutos antes do anúncio ser feito. Eu os incentivei a falar com a ATP, os jogadores, a trabalharem juntos e fazer o adiamento acontecer. A situação é complicada. É difícil definir o calendário. Todo mundo quer ter seu próprio torneio. Admiro o fato de a FFT querer permanecer positiva e seguir em frente, mas hoje é difícil prever o que acontecerá a seguir", disse ele que também defende o título do Slam parisiense.

O espanhol ainda foi questionado sobre a possibilidade de ter que definir entre jogar o Slam nova iorquino e o parisiense, dada a previsão de ocorrerem próximo ao calendário e segundo especula a imprensa americana até mesmo na mesma semana: "Eu não sei. Não posso responder a essa pergunta porque não conheço a situação e acho que não vai acontecer. Não consigo imaginar que haverá dois torneios na mesma semana e não consigo imaginar que haverá um depois o outro com apenas dois dias de intervalo. Não posso prever, mas tento seguir o que está acontecendo. Se eu tiver que decidir, decidirei quando tiver que fazer isso com minha equipe e meus entes queridos. Tomaremos a decisão que será melhor para o meu tênis, para o meu futuro e meu corpo".

 

banner
banner