X

Rogerinho fica de fora de ajuda financeira da ATP. Bellucci ainda não sabe

Sábado, 23 de maio 2020 às 14:53:52 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Por Fabrizio Gallas e Ariane Ferreira - Sem patrocínio financeiro, com dois filhos para criar e voltando de lesão sem ter jogado ainda em 2020, Rogério Dutra Silva ficou de fora do ATP Player Relief, o sistema de ajuda financeira aos jogadores do 101 ao 500 do mundo (ATP) mais 501 até o 700 com ajuda da ITF.



Ao todo, 17 brasileiros entre homens e mulheres serão ajudados, podendo ser 18, caso Thomaz Bellucci venha a ser contemplado.

Rogerinho, atual 424 do mundo, ficou de fora por ter feito pouco mais de US$ 1 milhão nas quatro últimas temporadas, pré-requesito para entrar no grupo. O tenista revelou ao Tênis News que não receberá os valores que vão chegar aos US$ 10 mil (cerca de R$ 56 mil), com a primeira parcela de pouco mais de US$ 4.300 (R$ 24.080,00)  paga ainda este mês e o restante mais adiante.

Sem jogar desde setembro de 2019, o jogador tem usado suas reservas financeiras para sustentar a si e sua família, e vem se 'virando' como pode para manter a carreira profissional. Ele já esteve entre os 70 melhores do mundo e no total da carreira, que começou em 2002, recebeu mais de US$ 1,8 milhão de premiação brutal total em simples.

O caso de Bellucci é uma incógnita. Sua assessoria de imprensa informou que o paulista de Tietê ainda não tinha recebido a verba até o meio desta semana e ele não sabia se receberia. Fizemos contato com a ATP que por email informou "não comentar casos individuais" de tenistas. Pelos cálculos do Tênis News, Thomaz recebeu cerca US$ 950 mil, entre 16 de março de 2016 até a paralisação do circuito, e em tese poderia receber o valor.

A maioria dos tenistas brasileiros que já receberam ou vão receber o auxílio financeiro estão no masculino. Thiago Wild (114º), João Menezes (185º), Guilherme Clezar (270º), Pedro Sakamoto (297º), Orlando Luz (301º), Felipe Meligeni (349º), Oscar Gutierrez (385º), Bruno Santanna (430º) e Rafael Matos (483º) recebendo entre os atletas de simples mais Fernando Romboli (93º), Fabricio Neis (175º) nas duplas recebendo a primeira parcela de US$ 2.165 (cerca de R$ 12 mil). 
No feminino, Gabriela Ce (232º), Teliana Pereira (372º), Thaísa Pedretti (385º), Carol Meligeni  (402º), Laura Pigossi (414º) e Paula Gonçalves (454º) receberiam um total de US$ 10.400 (cerca de R$ 58.240) pagos em duas parcelas. Beatriz Haddad Maia não receberá pois ficou suspensa por doping até o dia 22 deste mês. No feminino, apenas não receberá quem fez US$ 350 mil no último ano ou US$ 1,4 milhão nas últimas quatro temporadas.

banner
banner