X

Kyrgios afirma que Djokovic tem obsessão doentia em ser amado

Quarta, 15 de maio 2019 às 14:38:41 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Papas na língua é algo que o australiano Nick Kyrgios definitivamente não tem. Recentemente, em um bate papo descontraído no podcast ‘No Challenges Remaining” do jornalista Bem Rothenberg, o jovem tenista disparou diversas críticas ao sérvio Novak Djokovic.



“Eu sinto que ele tem uma obsessão doentia em querer ser amado. Ele só quer ser como o Roger (Federer). Para mim, pessoalmente, eu não ligo. Ele quer ser tão amado que eu não consigo aguentar”, disparou Kyrgios no podcast sem economizar palavras. “Entende? As celebrações dele são tão constrangedoras... ele é um dos maiores que a gente já viu. Honestamente, acho que ele vai passar Federer no número de Grand Slams. Não interessa quantos Grand Slams ele ganhe, ele nunca será o maior de todos os tempos para mim”.

Para Kyrgios, sua opinião tem um embasamento que faz muito sentido. “Eu já joguei contra ele duas vezes e, me desculpe, se você não pode me ganhar, você não pode ser o maior de todos os tempos. A vida que eu levo não é nada perto da dele. Ele sempre diz o que ele parece precisar dizer, nunca sua opinião. Ele não é um cara ruim. Honestamente, se eu ganhar, eu farei a celebração dele contra ele. Será hilário”.

Ainda em sua conversa com o jornalista, o australiano relembra quando foi campeão em Acapulco superando nomes como Rafael Nadal, Stan Wawrinka e Alexander Zverev, garantindo que não faz ideia como conseguiu o feito.

"Se eu tivesse uma câmera Go Pro naquela semana seria um filme. Fui para a noite todos os dias, ia dormir 4h30 da madrugada. A festa dos jogadores era toda de branco e apareci de preto. Não sei como ganhei naquela semana".