X

ITF inicia testes com nova regra para evitar bloqueios de saque no Beach Tennis

Sexta, 31 de agosto 2018 às 12:30:53 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Por Fabrizio Gallas - Visando maior número de troca de bolas principalmente no masculino, a ITF, Federação Internacional de Tênis, iniciou testes nas últimas semanas em uma nova regra para evitar o bloqueio de saque no Beach Tennis.

 



A nova regra funciona da seguinte forma. Os devolvedores de saque precisam ficar atrás da linha de três metros - a quadra de Beach Tennis possui 16 metros de comprimento por 8 de largura. 


A partir de agora até o final do ano o organizador de eventos ITF que quiser pode solicitar que seu evento tenha a nova regra que seguirá em testes até 2019. A entidade afirmou ao Tênis News que pretende adotá-la de forma obrigatória para a próxima temporada.


"A ITF aprovou o teste da Zona Proibida de Saque. Essa regra não será implementada em todos os torneios, mas somente naqueles que pedirem e que subsequentemente sejam aprovados a usarem em seus eventos", disse Karya Moses, coordenadora de Beach Tennis da ITF ao Tênis News.

 
"Esse projeto foi liderado pela equipe da ITF, mas com suporte da Associação de Jogadores. A mudança da regra é algo que a ITF está considerando tornar obrigatório para 2019 e o teste é um passo no progresso do esporte".  

 


O Tênis News ouviu alguns dos principais jogadores brasileiros. Rafaella Miiller, campeã Mundial por equipes este ano com o Brasil e campeã mundial de duplas pela ITF com Joana Cortez em 2016 na Itália utilizou a regra nova no torneio de Kazan, na Rússia, onde foi feito o primeiro teste, e em seguida em Saarlouis, na Alemanha, onde sagrou-se campeã ao lado da local Maraike Biglmaier. 


"Kazan foi a primeira experiência. Com as condições das quadras lá, achei um pouco mais complicado. Areia pesada, um jogo mais lento. Depois jogamos Saarlouis, e claro que as condições foram diferentes e já estávamos mais acostumadas também. A maior diferença fica para o jogo masculino do que o feminino. Acho que para os homens é uma boa iniciativa dos pontos durarem mais, serem mais disputados e mais longos pois os meninos normalmente usam o bloqueio de saque e não tem jogo. Vejo como uma mudança positiva", disse a paranaense radicada em Balneário Camboriú.

 

Quem também opinou foi Diogo Carneiro, que há poucos meses era top 10 mundial e é um dos melhores do Brasil.


"Acho relevante para o desenvolvimento do esporte. Acredito que essa mudança até demorou para acontecer. Vai aumentar o numero de trocas de bola e vai tornar o esporte mais atrativo para a televisão", destacou o carioca.

 

Italiano e capitão que levou o Brasil ao título mundial este ano em Moscou, Alex Mingozzi aprovou: "Vai ajudar muito no Beach Tennis e seu desenvolvimento, nos torneios na Europa que fomos e vimos os jogadores pareciam bem felizes, contentes. O bloqueio era utilizado mais por jogadores com pouca habilidade que ficava na frente bloqueando o saque e isso atrapalhava muito o jogo então quem saca erra ou mata já na primeira bola e ali estava matando o Beach Tennis. Já conversei com os jogadores italianos e todos estão curtindo essa regra que será fundamental assim como a chamada de foot-fault . O público vai curtir mais as partidas".

 

"Com essa regra nova vamos ajudar ao jogo ficar mais técnico e evitar brigas pois o bloqueio de saque gera brigas. O esporte ficará mais atrativo também para as televisões, público e mídia em geral"