X

Konta dá puxão de orelha em jornalista: 'Dizer que está aberto soa negativo'

Sábado, 13 de janeiro 2018 às 05:26:20 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Natural de Sidney, na Austrália, mas criada na Inglaterra, a britânica Johanna Konta está sempre à vontade no Australian Open, onde foi semifinalista em 2016, e aproveitou o estar em casa para 'puxar a orelha' de um jornalista durante entrevista coletiva.



Sempre muito falante e detalhista com o que lhe perguntam, Konta transitou entre as partidas disputadas por ela nas duas primeiras semanas do ano, que marcaram seu retorno às quadras após parada por lesão no quadril.

A tenista mostrou-se positiva em relação a sua performance e forma física, se disse preparada para o inicio do primeiro Grand Slam da temporada e não fugiu da polêmica da vez: 'Tirar ou não o nome de Margaret Court da quadra principal de Melbourne Park' e 'se recusar a jogar nesta quadra'.

"Vou jogar onde me escalarem. Mas a respeito da controvérsia e tudo que envolve, eu não concordo com o que Margaret Court disse. De qualquer forma, ela disse que era sua opinião. Em termos de jogos, jogo onde me mandarem, se for na  Margaret Court, eu vou lá e jogo", pontuou ela, que ainda disse que é triste precisar responder esse tipo de pergunta já que Grand Slams são a celebração do todo: "Homens, Mulheres, tênis em cadeira de rodas. É a celebração do tênis".

O momento 'puxão de orelha' com bom humor ficou por conta de um jornalista que perguntou como ela via a opinião das pessoas que dizem que sem Serena Williams, a chave do torneio está aberta.

"Todas as vezes que me perguntam isso, soa como se fosse uma coisa realmente negativa ao invés de reconhecer quantos ótimas jogadoras temos", iniciou sua fala e ouviu o jornalista retrucar "Não é assim".

Konta prosseguiu: "Podemos trabalhar juntos em refazer essa pergunta?  Trabalhemos nisso juntos", disse sorrindo e seguiu: "O título está em aberto no sentido de que há muitas grandes jogadoras. Indo a fundo no tênis feminino, realmente acredito que nos últimos anos o esporte ficou mais forte. Você pode observar a cada rodada, em torneios, Slams. Existem muitas primeiras rodadas difíceis, assim como segundas rodadas. Não há nenhuma navegação direta para as quartas ou semifinais mais. Isso não existe".

"Não é específico de Grand Slam. É o mesmo em Brisbane. Eu joguei contra Madison Keys (atual vice-campeã do US Open) na primeira rodada.Também em Sidney, joguei contra Agnieszka [Radwanska - ex-top 2]. É empolgante para os fãs comprarem ingressos. Eles sabem que quando virão, não importa o dia para o qual comprem seus ingressos, terão ótimos jogos. Penso que isso é empolgante. É por isso que eles colocam seu dinheiro nisso: para ver um jogo divertido de tênis. Eu acho que estamos fornecendo esse entretenimento", finalizou.