X
banner

Não é momento de pensar em Roland Garros, afirma Nadal

Sábado, 06 de junho 2020 às 12:23:02 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Este final de semana estaria sendo o das finais de Roland Garros, mas a pandemia do coronavírus vem atrasando o calendário que por enquanto está previsto para voltar em agosto com o Aberto da França indo para o fim de setembro.



Rafael Nadal bateu um papo com seus fãs de Roland Garros e afirmou que o momento não é o melhor para pensar no torneio. Ele vem treinando duas vezes na semana há duas semanas e meia e vem aumentando aos poucos a intensidade.

"Sinceramente não sei se estou preparado (para competir). Tento fazer todas as coisas da maneira correta para voltar sem problemas quando seja o momento, cumprir com cada etapa de maneira segura, aumentando a intensidade passo a passo. Se um dia me sentir mais cansado, não treino. Temos tempo para gerir a situação com responsabilidade, cada fase com calma. Sem ter claro o calendário, tudo é mais complicado. Esperemos que o panorama seja mais claro nos próximos dias".

 

Sobre motivação, o espanhol voltou a frisar que não está tanto no tênis: "Minha motivação hoje não está relacionada com o têns, é a verdade. Agora mesmo tenho em mente outros temas, seguir a situaçãomundial, mesmo que sem esquecer de aprontar meu corpo. Treino para que meu físico esteja preparado no momento que voltemos com o calendário, essa é minha motivação. Estou feliz também por gastar tempo com minha família e amigos"

Sobre Roland Garros, o espanhol afirmou: "Não penso nisso. Creio que a situação está muito dura para estar pensando em possíveis cenários que teríamos sem essa crise. Estamos imersos em uma situação de emergência, assim que nesses momentos não penso no que gostaria de estar fazendo se nada disso tivesse ocorrido. Minha mente não trabalha assim, mas tento memanter positivo, aceitar os acontecimentos e esperar a normalidade. É duro não jogar certos torneios, claro, já não tenho 21 anos e perder torneios assim é dolorido. Ao mesmo tempo é parte da vida, não é tão grave, o importante são todas as vidas que foramperdidas e famílias que sofreram com perda de seus entes queridos. Me encanta jogar Roland Garros, mas minha mente entende que não é momento pensar nisso".

 

banner
banner